English

ANUÁRIO 2016


R$ 82,00
O ano de 2016 se caracterizou pela polarização política, expressa, no Brasil, pelas manifestações contra ou a favor do impeachment de Dilma Rousseff, e, no exterior, pela eleição de Donald Trump e o resultado do Brexit. No âmbito arquitetônico brasileiro, a pior crise econômica da história congelou projetos e gerou demissões. Procurando flores no deserto, as realizações que se sobressaem são tema do anuário 2016. Outras boas novas vieram do exterior, como os três prêmios de Paulo Mendes da Rocha, que o consagraram como um dos profissionais vivos mais laureados.

27 de fevereiro  Ouviram-se, pouco depois das oito e meia, os acordes inaugurais da Sala Minas Gerais. A peça mais aguardada da noite foi a Sinfonia nº 2, de Gustav Mahler, escolhida “não só pela grandiosidade da obra”, justificou o regente Fabio Mechetti, mas “pelo fato de explorar todas as dinâmicas da sala, dos sons mais suaves aos mais fortes, e também pelo simbolismo que ela guarda: renascimento, ressurgir, um novo começo”. 
 
Onze meses depois, a arquiteta da sede da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais alertou: “Temos que ir rápido para ver a sala de concertos antes do começo do ensaio. Após o início, o maestro não deixa ninguém entrar!”. Aos 68 anos, magra, com cabelos brancos curtos e vestindo um macacão moderno e largo, Jô Vasconcellos caminhava em direção ao coração do espaço, percorrendo as artérias entre os músicos que ensaiavam acordes da Sinfonia nº 5 de Mahler, que abriu a temporada de 2017.
 
 
*
 
29 de abril  “Não está devendo nada aos ginásios europeus. Dentro da quadra, está tudo perfeito”, comentou o pivô do Taubaté, Vinícius Teixeira, após enfrentar o Maringá. A partida foi o evento-teste da Arena do Futuro, palco das partidas de handebol e golbol dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Pensando no legado, o edital que selecionou o projeto arquitetônico propôs uma inovação: sua desmontagem, após o evento, para utilização dos componentes na construção de quatro escolas públicas.
 
“Contestamos a nomenclatura ‘arquitetura nômade’, difundida por Eduardo Paes”, comentou Gustavo Martins, um dos autores. “Ela não expõe o conceito da flexibilidade, que aproveitaria 80% dos componentes”. Aos 40 anos de idade, Martins dirige com Ana Paula Polizzo o escritório Oficina de Arquitetos, sediado em Niterói. Eles venceram a concorrência integrando o consórcio liderado pelo escritório de arquitetura Lopes, Santos & Ferreira Gomes. “Nossa vida profissional sempre teve dois lados: o ensino e os concursos”, ele lembrou. 
 
 
*
 
5 de agosto  Abertura dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, com destaque para a cerimônia no Maracanã dirigida por Fernando Meirelles, Daniela Thomas e Andrucha Waddington. Na análise do New York Times, “a cerimônia de abertura dos Jogos disfarçou feridas brasileiras por algumas horas e deixou o país celebrar sua história”.
 
O evento, que atraiu 1,17 milhões de turistas, sendo 35% do exterior, teve um balanço econômico positivo: a taxa de ocupação dos hotéis chegou a 95% e bares e restaurantes da zona sul aumentaram em 70% seu faturamento. 
 
 
*
 
29 de setembro  O Royal Institute of British Architects (Riba) anuncia que Paulo Mendes da Rocha é o ganhador da Medalha de Ouro, recebida por ele no início de 2017. 


COLABORADORES

Fernando Guerra

No início de 2017, ao registrar obras recém-concluídas em São Paulo, o fotógrafo português captou o volume de Isay Weinfeld que flutua no jardim e disparou quase 3 mil fotos da tempestade tropical da Triptyque.

Fernando Serapião

Completando mais um diário, o editor da Monolito revela o olhar arquitetônico da rotina revolta de 2016. Entre altos e baixos, apresenta a nata da produção que desabrochou nesses 365 dias.

Jomar Bragança

Nascido no interior de Minas Gerais, o fotógrafo é graduado em arquitetura pela UFMG. Nesta edição, suas lentes mostram a nova estrela cultural da cena: a Orquestra Filarmônica de Belo Horizonte.

Leonardo Finotti

No ano em que montou Rio enquadrado, exposição individual no Museu da Casa Brasileira, Finotti registrou também obras em Brasília, no Rio de Janeiro e na Grande São Paulo que estampam esta edição.


SUMÁRIO

Diário: Oito obras, três prêmios e 365 dias, de Fernando Serapião
APCA 2016 arquitetura

Projetos selecionados:
Edifício de apartamentos (2008/2016), Silves, Portugal, SPBR Arquitetos, Obra Arquitetos e Casa Granturismo
Sede da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais (2011/2016), Belo Horizonte, Jô Vasconcellos, Rafael Yanni e José Augusto Nepomuceno
Arena do Futuro (2013/2016), Rio de Janeiro, Oficina de Arquitetos e Lopes Santos & Ferreira Gomes Arquitetos
Sede CNM (2010/2016), Brasília, Mira Arquitetos
Residencial Duarte Murtinho (2010/2016), São Bernardo do Campo, SP, Boldarini Arquitetos Associados
Orla Conde (2012/2016), Rio de Janeiro, Backheuser e Riera Arquitetura
Dpot (2012/2016), São Paulo, Isay Weinfeld
Pop XYZ (2012/2016), São Paulo, Triptyque Architecture


Copyright 2011 - 2017 • Editora Monolito • Todos os direitos reservados
Criação de Sites - Célula Ideias